Cerest orienta caminhoneiros sobre prevenção de acidentes nas estradas

Estar em boas condições físicas e mentais é fator fundamental para evitar acidentes de trânsito. Pensando nisso, o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest), em parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), Defesa Civil Estadual e o Instituto do Meio Ambiente (IMA), promoveu, nesta quarta-feira (16), no pátio da Empresa São Geraldo, na BR-101, em Messias, ações de saúde para caminhoneiros que transportam produtos químicos perigosos.

Uma equipe multidisciplinar orientou os motoristas sobre como manter uma rotina saudável, além de medir a taxa de glicemia, o Índice de Massa Corpórea (IMC) e aferir a pressão arterial dos motoristas que trafegaram pelo local.

No caso de o caminhoneiro ser detectado com pressão alta ou diabetes, ele é encaminhado para uma Unidade Básica de Saúde, onde deverá ser consultado por um especialista.

De acordo com o médico do trabalho, Juraci Lima, alguns cuidados básicos são fundamentais para prevenir doenças e até acidentes de trânsito, visto que a maioria dos caminhoneiros transporta gás de cozinha, combustíveis e produtos químicos.

“É importante que o profissional reduza a jornada de trabalho, saia do sedentarismo, evite erros alimentares e corrija hábitos como fumar e beber. Cuidados com a postura também previnem problemas nos sistemas ósseo e muscular”, afirma o médico.

Entre os problemas de saúde mais comuns relacionados à profissão, segundo Juraci Lima, estão a perda auditiva, dores musculares, degeneração da coluna vertebral, varizes de membros inferiores, tendinite, artrites e doenças respiratórias.

Além disso, como se não bastasse, existem outros riscos à saúde a que os caminhoneiros estão expostos, como trabalho repetitivo, estresse psicológico e social, exposição a produtos químicos, gases e vapores.

“A privação de sono e excesso de horas trabalhadas são outros importantes riscos que a profissão pode oferecer à saúde. Mas os caminhoneiros também devem ficar atentos para outros cuidados, como estar com as vacinas em dia, manter uma alimentação balanceada, além de checar a pressão arterial, peso e níveis de colesterol, triglicerídeos e glicemia”, orientou o médico do trabalho.

Beneficiado

O caminhoneiro de Recife (PE), Wellington Dias, 42 anos, elogiou a operação e destacou que o trabalho nas estradas é muito desgastante e, por conta disso, fica difícil cuidar da saúde.

“Quando não estou na estrada, aproveito para ficar com a família, e só. No mais, não pratico nenhuma atividade física, e a alimentação também não é a correta. Tem dias que é feita no caminhão e às vezes, quando dá, como em algum restaurante de beira de estrada”, diz Wellington Dias.

Durante a consulta, ele foi diagnosticado com pressão alta e logo foi encaminhado para pegar uma medicação numa Unidade Básica de Saúde. “Sem a qualidade de vida nós não somos nada. Então é importante cuidar. Muitos companheiros pensam que só trabalhar é o bastante e acabam prejudicando muito a saúde”, refletiu.

Ascom – 16/08/2017

(Visited 3 times, 1 visits today)